Adaptar Apps do iOS, Android,

Durante a última conferência Build, a Microsoft anunciou quatro “pontes” para trazer mais aplicativos ao Windows 10. Seria possível adaptar apps do iOS, Android, webapps e até mesmo programas Win32 tradicionais para serem distribuídos através da Loja do Windows.

Agora, a Microsoft confirma que a ponte do Android – chamada de Project Astoria – foi cancelada de vez no Windows 10 Mobile. No entanto, ela ainda pode ter um futuro nos PCs.

Como explicamos por aqui, o Project Astoria permitia rodar apps do Android basicamente sem modificações. O Windows 10 para smartphones até vinha embutido com um subsistema para tanto.

Desenvolvedores não gostaram da ideia, pois isto facilitava a pirataria – era possível rodar arquivos .apk sem muito esforço. Além disso, o subsistema do Android deixava o Windows 10 Mobile mais lento com o passar do tempo.

Em novembro, o Astoria foi discretamente removido do Windows 10 Mobile, mas seu cancelamento só foi anunciado esta semana. A Microsoft diz que, para os desenvolvedores, ter pontes para iOS e Android era “confuso e desnecessário”, provavelmente porque muitos apps já estão em ambas as plataformas.

No entanto, o Project Astoria pode ter deixado alguns resquícios, que estão mais relacionados ao Linux do que ao Android. Como nota o Ars Technica, a build mais recente do Windows 10 para PCs inclui versões atualizadas dos módulos de kernel para o Astoria. Ou seja, há um sistema operacional parecido com o Linux escondido dentro do Insider Preview.

O especialista Alex Ionescu diz que o Windows NT sempre teve um subsistema baseado em Unix. Ele só estaria mais explícito devido ao novo kernel unificado entre PCs, smartphones e Xbox (algo chamado de OneCore). No entanto, Ionescu não nega a possibilidade de que o Windows poderia se tornar compatível com programas para Linux – algo que pode ser bem útil em servidores.

A ponte para iOS, chamada de Project Islandwood, continua ativa. É possível converter o código de apps para que eles rodem nativamente no Windows usando a ferramenta WinObjC – ela está disponível desde agosto e tem código aberto.

No vídeo abaixo, o desenvolvedor David Burela usa o código aberto do jogo Cannabalt para iOS a fim de criar uma versão para Windows 10, e o processo leva menos de cinco minutos:

Há também o Project Westminster, que permite criar apps universais baseados em linguagens da web (HTML, CSS, JavaScript); ele foi lançado junto ao Windows 10 e é usado por empresas como Shazam e Yahoo.

Enquanto isso, o Project Centennial vai trazer programas tradicionais de desktop que rodarão em uma sandbox, isolados do restante do sistema. A ideia é aumentar a segurança e permitir uma desinstalação fácil. A Microsoft diz que este projeto está sendo testado por alguns desenvolvedores, e será expandido em breve.

A Microsoft não está contando apenas com essas pontes para trazer mais apps à Loja do Windows. Esta semana, ela adquiriu a Xamarin, empresa que fornece um kit a desenvolvedores para facilitar a criação de apps multiplataforma no iOS, Android e Windows.

COMENTÁRIOS

O seu endereço de e-mail não será publicado.