Descontos e ofertas DO Burger King é golpe no WhatsApp

1suposto-golpe-do-whatsapp-usa-falsos-cupons-no-burger-king

O WhatsApp se tornou mais uma vez isca para um golpe virtual, de acordo com a empresa de segurançaESET. Circulam no mensageiro mensagens que citam a rede de restaurantes Burger King, oferecendo descontos e ofertas especiais para quem clicar nos links. É o caso mais recente desde a descoberta doWhatsApp “Gold”, na semana passada.

Os especialistas em segurança da ESET identificaram as mensagens cujo objetivo seria inscrever usuários em serviços de mensagens pagas sem que eles percebessem. Por ser o aplicativo mais usado do Brasil, o WhatsApp é frequentemente usado para golpes, tanto em celulares com Android quanto no iPhone (iOS).

Como a suposta ameaça funciona

A tática dos recados consistiria em mandar um voucher falso com desconto de R$ 50 válido para a rede de lanchonetes Burger King. Para ganhar a recompensa, o usuário teria que convidar pessoas a participar de uma pesquisa, compartilhando o resultado com os contatos, em seguida.

Ao aceitar a promoção e clicar no link, o usuário seria direcionado para um questionário, que incluiria questões como frequência de visitas ao Burger King e qual a distância da loja mais próxima. A intenção das perguntas, segundo a ESET, seria simplesmente desviar a atenção do usuário.

A vítima seria, então, informada sobre a disponibilidade de 14 cupons de desconto em lanches. Na etapa seguinte, por fim, precisaria compartilhar a pesquisa com dez amigos ou em três grupos do WhatsApp.

Depois disso, seria exibida uma mensagem informando que a “oferta é válida durante os próximos 225 segundos” ou “por quatro minutos”. O pouco tempo induziria os usuários a aceitar condições sem prestar atenção ao conteúdo. A partir disso, seria confirmada a contratação de serviços de mensagem paga. Por fim, uma caixa informaria que o voucher não foi recebido, mas que outras promoções podem ser enviadas.

“Nos últimos meses, verificamos uma série de golpes do voucher falso propagadas via WhatsApp que usam marcas famosas, como Zara, Starbucks, McDonalds, entre outras”, relatou o presidente da ESET Brasil, Camillo Di Jorge.

Di Jorge explicou que, no caso do chamado golpe do Burger King, os criadores da mensagem teriam acrescentado uma linha de código que não permite que buscadores consigam indexar o conteúdo falso. Isso faz com que a campanha fique mais tempo sem ser detectada, pois só é acessada pelas vítimas que clicam no link do voucher.

Ainda segundo a ESET, o golpe foi identificado primeiramente no Brasil, mas já foi localizado em idiomas como italiano, espanhol, inglês e alemão.

COMENTÁRIOS

O seu endereço de e-mail não será publicado.