Microsoft demite 7,8 mil funcionários

O Sinal de alerta foi aceso nesta quarta-feira (8) na Microsoft. A empresa anunciou que deve dispensar pelo menos 7,8 mil funcionários, a maioria deles ligados à área de mobile. Segundo a companhia, a ideia é “reestruturar o negócio de hardware relacionado a smartphones, focando e alinhando recursos”.

No ano passado, após a aquisição da divisão mobile da Nokia, a empresa já havia promovido uma grande reestruturação neste setor. Às vésperas do lançamento do Windows 10, o corte em funcionários ligados a essa área parece inesperado. Entretanto, a duracompetitividade com a Google e a Apple pode ter alguma influência nessa decisão.

“Em curto prazo, vamos buscar um modelo mais eficaz para o nosso portfolio de smartphones, sem que isso afete nossa capacidade de se reinventar em longo prazo”, explicou Satya Nadella, CEO da Microsoft. Em uma carta aberta enviada aos funcionários da companhia, ele dá a entender que não é fim de nenhuma das divisões – hardware e software -, mas que o software terá prioridade ante os aparelhos.

Seria esse um indício de que aquele rumor de a Microsoft poderia desistir do Windows Phone para colaborar com o Android teria algum fundo de verdade?

Leia na íntegra a carta do CEO Satya Nadella aos seus funcionários

Ao longo das últimas semanas eu compartilhei com vocês a nossa missão, estratégia, estrutura e cultura. Hoje eu quero discutir nossos planos para concentrar nossos talentos e investimentos em áreas onde temos diferenciais e potencial de crescimento, bem como mais possibilidades de obter resultados em melhor escala. Em tudo que fizermos, vamos focar em uma visão de longo prazo e construir uma situação que nos permita inovar no futuro.

Com esse contexto, quero atualizá-los sobre as decisões que impactam o nosso negócio de telefonia e falar um pouco mais sobre o mapeamento e as formas de publicidade que compartilhei com vocês na última semana.

Prevemos que essas mudanças, além de outras mudanças no alinhamento no número de funcionários, vão resultar na redução de até 7,8 mil posições a nível global, principalmente no nosso negócio de celulares. As reduções vão acontecer ao longo dos próximos meses.

Eu não faço mudanças como essas com um ânimo leve, uma vez que elas afetam a vida das pessoas que impactam no dia a dia da Microsoft. Estamos profundamente empenhados em ajudar os membros da nossa equipe nesse processo de transição.

Celulares

Hoje anunciamos uma reestruturação fundamental do nosso negócio de telefonia. Como resultado, a empresa terá um custo de prejuízo de aproximadamente US$ 7,6 bilhões relacionados a ativos associados com a aquisição do negócio de dispositivos e serviços da Nokia. Além disso, temos um encargo com a reestruturação que ficará entre US$ 750 milhões e US$ 850 milhões.

Estou comprometido com os nossos dispositivos próprios, incluindo smartphones. Entretanto, precisamos concentrar os nossos esforços de telefonia no curto prazo durante a condução desse processo de reinvenção. Estamos passando de uma estratégia para crescer em um negócio autônomo de celulares para uma estratégia de crescimento na criação de um ecossistema vibrante do Windows, o que inclui também nossos principais dispositivos.

No curto prazo vamos nos concentrar em um portfolio de smartphones mais eficaz, com melhores produtos e que cheguem na velocidade do mercado, por intermédio da recém-formada Windows and Devices Group. Pretendemos estreitar o nosso foco para três segmentos de clientes, onde poderemos fazer contribuições únicas e poderemos nos diferenciar por meio da combinação do nosso hardware e software. Nós vamos trazer aos clientes empresariais as melhores experiências de gestão, segurança e produtividade que eles necessitam; agregaremos valor aos celulares vendidos aos nossos consumidores com serviços que eles querem; e aos nossos fãs, vamos dar os tops de linha que eles vão amar.

Mapeamento

Na semana passada, anunciei mudanças em nosso negócio de mapeamento e estamos transferindo algumas de nossas operações de aquisições de imagem para o Uber. Vamos continuar sendo a fonte de dados de mapeamento para os nossos parceiros. Isso nos permitirá concentrar nossos esforços em oferecer produtos de mapas como Bing Maps, Maps para Windows e Bing Maps para as APIs Enterprise.

Publicidade

Também anunciamos nossa decisão de ampliar o nosso foco em plataformas de tecnologia para publicidade e concentrar nossos esforços em pesquisas enquanto mantivermos nossas parcerias com a AOL e a AppNexus para exibição. O Bing agora será o motor de busca em diversos sites do grupo AOL, que se somam às parcerias que já temos com Yahoo!, Amazon e Apple. Concentrar nossos esforços em buscas vai nos ajudar a acelerar os progressos que temos feito nos últimos seis anos. No último ano o Bing cresceu 20% nos Estados Unidos, enquanto nosso faturamento no segmento cresceu 28% nos últimos 12 meses. Nós enxergamos as tecnologias de busca como o núcleo dos nossos esforços abrangendo o Bing, a Cortana, o Office 365, o Windows 10 e o Azure.

Agradeço profundamente todas as ideias e o trabalho árduo de todos os envolvidos nesses negócios e que reiterar meu comprometimento em ajudar cada indivíduo impactado.

Eu sei que muitos de vocês têm dúvidas sobre essas mudanças. Eu vou estar à disposição em uma sessão de perguntas e respostas amanhã para compartilhar mais informações com vocês e espero que vocês estejam lá.

via [VentureBeat / USA Today / WM PowerUser / The Verge / TecMundo]

COMENTÁRIOS

O seu endereço de e-mail não será publicado.