Pokémon GO: Troca de Mostrinhos estão chegando

id195713-1

Pode até ser que uma grande parte dos jogadores pagantes de Pokémon GO estejam abandonando o jogo e o app tenha caído no ranking dos mais baixados na App Store, mas o fato é que a Niantic ainda tem muita lenha para queimar com o aplicativo. Há cerca de um mês, a desenvolvedora divulgou um cronograma com datas a serem esperadas para a inclusão de recursos muito esperados pelos treinadores, como trocas, batalhas e novos monstrinhos.

Cronograma

  • Trocas de Pokémon entre jogadores: novembro de 2016
  • Batalhas entre jogadores: março de 2017
  • Segunda geração de monstrinhos: junho de 2017

Caso tenha surgido a dúvida, a segunda geração provavelmente se refere aos 100 monstrinhos introduzidos inicialmente em Pokémon Gold e Silver, cuja história acontece em Johto, região que fica bem ao lado de Kanto. Os monstrinhos desses jogos incluem Chikorita, Cyndaquill e Totodile, além dos cães lendários Suicune, Entei e Raikou, e muitos outros.

Com o anúncio inclusive da introdução de novos monstrinhos, talvez a Niantic consiga segurar um bom número de jogadores, visto que já há relatos de muitas pessoas que já completaram a Pokédex – ou boa parte dela. No entanto, não foi anunciado quando os pássaros lendários serão liberados, apesar de já haver até vídeos do Articuno em ação.

O primeiro a chegar é a troca de criaturas entre dois jogadores diferentes. Previsto para novembro, o recurso já está presente no código do app, que foi analisado pelo pessoal do Pokemon GO Hub. Eis o que eles descobriram até agora, lembrando que nada é definitivo, e a Niantic ainda pode modificar os detalhes até a data de ativação da ferramenta:

  • Será possível procurar por jogadores que querem trocar Pokémon
  • Será possível criar, cancelar e completar ofertas de trocas
  • Apenas monstrinhos poderão ser trocados
  • Se houver perda de conexão, o app vai fazer uma nova tentativa para concluir a troca

Não há informação sobre como a troca será feita realmente, se será possível fazer uma troca procurando o nome de usuário do outro jogador, ou se vai dar para trocar um Pokémon do Brasil com o Japão, por exemplo, ou apenas em uma distância bem menor, talvez considerando alguma Pokéstop ou um raio de distância específico.

Também não há nenhuma conclusão sobre que tipo de conexão será utilizada para a transação, podendo ser bluetooth ou dados de internet, mas já se sabe que haverá comunicação com os servidores da Niantic. Por enquanto, a indicação é de que apenas criaturas poderão ser trocadas, nada de itens.

Reforçando, isto é apenas uma análise prévia do que já está presente no código do app. Foi observada a versão 0.37.1 de Android. A Niantic pode modificar, incluir ou retirar detalhes, que ainda devem ser aperfeiçoados antes da liberação ao público.

Até novembro, certamente teremos mais informações sobre a troca de Pokémons no jogo baseado em realidade aumentada. E aí, o que você espera desta novidade? Conta pra gente nos comentários.

COMENTÁRIOS

O seu endereço de e-mail não será publicado.