WhatsApp caiu? Aplicativo ‘fora do ar’ e instabilidade

O WhatsApp está fora do ar para alguns usuários na tarde desta quarta-feira (19). Os relatos de instabilidade no mensageiro, disponível para Android,iOS e Windows Phone, surgiram nas redes sociais a partir de 17h. A assessoria de imprensa do app afirmou que vai checar o status do serviço, mas ainda “não tem informações sobre uma possível queda”.

Vale lembrar que, no início de maio, a Justiça de Sergipe ordenou o bloqueio do WhatsApp no Brasil por 72h, porém, a equipe jurídica do mensageiro recorreu a decisão e obteve uma vitória na Justiça, que determinou que ele voltasse a ficar online após 24h de suspensão.

Na ocasião, a medida ocorreu após a Justiça solicitar o compartilhamento de informações para uma investigação criminal, que foi recusada pelo Facebook (proprietário do WhatsApp).

O app também adotou criptografia no início de abril, tecnologia que impede a obtenção do conteúdo presente nas mensagens de usuário. O WhatsApp já havia ficado fora do ar por 48 horas, em 16 de dezembro do ano passado, em um contexto similar.

Com os constantes bloqueios do mensageiro, alguns concorrentes do app de mensagens mais usados pelos brasileiros, ganharam destaque nos últimos tempos. Um exemplo é o Telegram, app grátis que permite a configuração para que as mensagens sejam apagadas automaticamente após alguns segundos.

Alguns usuários optaram pelo recurso da VPN para utilizar normalmente o WhatsApp. Porém, é importante destacar que a VPN funciona como uma rede privada dentro da Internet. O “proprietário” desta rede pode, em tese, as suas conversar por WhatsApp.

Saiba como entrar na VPN:

VPN é uma sigla, em inglês, para “Rede Virtual Privada” e que, como o mome diz, funciona criando uma rede de comunicações entre computadores e outros dispositivos que têm acesso restrito a quem tem as credenciais necessárias.

Em outras palavras, você pode compreender a VPN como uma forma de criar pontes de ligação entre diferentes dispositivos via Internet, mantendo os dados de comunicação trocados entre eles codificados e mais seguros, já que sua interceptação se torna mais difícil.

Para que serve uma VPN?

Uma rede desse tipo tem como função ligar dois computadores, via Internet, protegendo as informações trocadas entre eles, graças à encriptação dos dados. No caso da aplicação doméstica, uma VPN pode permitir que você navegue de forma anônima para assim acessar serviços e conteúdos que não estão disponíveis no seu país.

Ou seja, mesmo que você more no Brasil e use a Internet da sua casa, a VPN fará com que os sites pensem que você está nos Estados Unidos, por exemplo, por conta do seu endereço de IP.

Essa prática é útil para visualizar conteúdo na rede que, por uma série de motivos, não é oferecido no Brasil. Com o uso de uma boa VPN, você pode usar sua conta para navegar pelo catálogo norte-americano do Netflix e visualizar vídeos do YouTube bloqueados para o Brasil, por exemplo.

Do ponto de vista comercial, os computadores podem ser conectados através de cabos ou da criação de links proprietários, que são distribuídos via satélite. Mas, em geral, embora esses métodos sejam mais seguros, eles são também muito mais caros.

Quem utiliza VPNs?

Embora o método tenha se popularizado recentemente, a sua aplicação mais comum é no ambiente corporativo. Empresas que precisam ligar suas filiais numa mesma rede, por exemplo, constroem VPNs para que a troca de dados entre seus computadores possa ser realizada de forma segura e barata.

Outra aplicação comum da VPN nas empresas é a utilização para conectar seus funcionários e permitir a prática do “home office”. Por meio da VPN, um colaborador pode acessar os serviços de rede e informações confidenciais de sua empresa a distância. Como a VPN opera baseada na web, a única coisa de que o trabalhador precisa é um computador e de uma conexão comum com a Internet para usar uma VPN desse tipo.

Qual é a vantagem de uma VPN?

Uma rede VPN permite a troca de dados de forma mais segura entre os terminais (computadores, celulares, tablets e etc) ligados à ela.

Em países com governos autoritários, que censuram a Internet, o uso de VPNs permite que seus cidadãos acessem conteúdos censurado com alguma margem de segurança. Se você costuma usar Internet em redes públicas de WiFi, uma VPN pode garantir que seus dados não serão interceptados pelo administrador da rede.

Outra vantagem do uso dessa tecnologia é a possibilidade de ocultar a sua real localização geográfica, além da possibilidade de impedir que provedores mapeiem o seu perfil de uso da rede.

Quais programas de VPN posso usar?

No Chrome, o Hola é uma das opções mais populares para a realização desse trabalho. Outros softwares, que funcionam em qualquer navegador, são IPVanish, Astrill e Private Internet Access (com bom suporte para iOS eAndroid). Todos são gratuitos e de simples utilização.

Se você quer criar uma VPN para usar no seu celular, por exemplo, a lista de aplicativos é enorme. No Android, VyprVPN, VPN Rápido e Seguro, FinchVPN e FlashVPN são os mais bem avaliados da Google Play Store. Todos são gratuitos (mas oferecem pagamento de assinaturas mensais ou anuais, que dão acesso a recursos melhores).

No iOS, as melhores opções de VPN, segundo ranking do site Best VPN, são: IPVanish, ExpressVPN, VYPR VPN, Invisible Browsing VPN e o Private Internet Access, mencionando anteriormente.

Você pode montar uma VPN?

É possível que você mesmo implemente e regule a sua própria VPN. Além de todas as vantagens de preservação da sua privacidade na Internet, essa estrutura permite que você acesse seus arquivos remotamente, de qualquer lugar do mundo (desde que você tenha deixado seus roteadores e computadores ligados em casa).

Para fazer isso, você precisa de alguns conhecimentos de infraestrutura de redes e terá que optar pelo aluguel de um servidor, ou pela criação de um servidor doméstico. Optando pelo servidor caseiro, você pode ter sua própria VPN rodando gratuitamente.

COMENTÁRIOS

O seu endereço de e-mail não será publicado.